segunda-feira, 12 de abril de 2010

Amor é VITAL!


Eu estava qui...deslisando o dedo no teclado e pensando no meu filhote...

Ele é o amor da minha vida...danaaaaaaaaaaado que só ele!Me dá um trabalhão!!!rsrsrsrsr
Me deixa doidinha com tanta bagunça, com tolices normais de criança, com a sua preguiça horrorosa de fazer o famigerado dever de casa (puxou pra mãe, nem posso reclamar!)...mas é a minha vida...acho que minha vida seria tão sem graça sem ele...Por isso sou feliz...

Ontem enquanto conversava com a minha cunhada, que teve bb ha 02 meses eu estava dizendo a ela...como amor de mãe é importante e fundamental pra vida de nossos filhos e futuros filhos...é simplesmente essencial e insubstituível...Todo mundo sabe...eu sei...mas é sempre bom reforçar...

Eu sou a 2ª de três irmãs...minha mãe é uma pessoa que sei lá....teve filhos...mas....ficou faltando muita coisa...nao a condeno por ter sido assim...cada pessoa tem seu jeito...mas as lacunas que ela deixou fizeram toda diferença pra que hj eu seja a mãe que eu sou hj!
Eu não tenho lembranças de nunca na minha vida ela ter me chamado carinhosamente de "minha filha", ou de meu amor...ela nunca me disse que me ama!Não tenho lembraças de colo de mãe...de abraço espontâneo que não fosse em datas tipo: aniverário, Natal, Ano Novo...Calma gente...ela não me odeia...ela simplesmente é assim...na dela...Não tenho lembranças da presença dela em reuniões na escola...as vezes nas festas da escola ela não ia...mas nós participávamos...Eu fiz Ballet, Inglês...Handboll...e outras coisinhas...mas pq a Vovó nos colocava pra fazer...Qd tinham apresentações do Ballet...ela ia...fazia platéia e tal...eu ADORAVA..me sentia importante...
O papai, claro, tb não vivia o tempo todo nos beijando e nem nos cheirando...mas ele era mais amoroso...ele DEMOSNTRAVA...e isso fez uma grande diferença!!Ah...se fez....A minha avó tb...nossa...ela botava a gente no colo, enchia a gente de beijos....cheirava, fazia cafuné...ia na escola...cuidava da gente qd ficávamos doente...ELA ERA E FOI TUDO!
Minha mãe sempre me deu escola, material, roupas, até passeios, mas faltou AFETO!Coisa que meu pai que sempre foi MUITO ocupado dava...nem que fosse nas poucas horas em que ele tinha tempo...e isso foi e contInua sendo IMPORTANTÍSSIMO...mesmo nos altos dos meus 30 anos....eu hj não seria nada sem o meu PAI!!!
Hoje estou aqui pra falar de como é importante beijar...cheirar...abraçar....
De como as vezes a gente aprende com aquilo que não tivemos....Eu busco incessantemente ser pro Davi aquilo que a minha mãe deixou de ser pra mim em alguns momentos da minha vida...e momentos que fora muito importantes...Minha mãe nunca foi minha amiga...quizá minha melhor amiga...!!!Não me condenem por dizer isso...mas é a verdade...eu não a odeio...EU AMO MINHA MÃE...aprendí a amá-la como ela é e aprendi cedo que as vezes MÃE NÃO É TUDO IGUAL!
Ela me ensinou e até hj ela me ensina como a MÃE é importante na vida de um filho...meu PAI me mostra até hj como um PAI deve ser...herói, as vezes nosso vilão..rsrsr, as vezes tããããão carinhoso e de vez em qd um chato!rsrsrsrsr...
Cada um no seu papel....são insubstituíveis....são vitais na formação de um indivíduo....

4 comentários:

Jordana disse...

Perfeito, nada é mais importante do que o amor. Muitos pais acham que estão fazendo tudo quando trabalham e dão aos filhos os melhores passeios, asmelhores escolas, as melhores roupas...que engano, os pais estão fazendo o melhor quando participam das atividades escolares, quando brincam junto, quando inventam brincadeiras, quando participam de passeios...sejam viagens ou simples idas as pracinhas da cidade!
O amor não vende nas prateleiras, e o tempo que não se passa com um filho, não pode ser substituído por bens materiais.
Quem dera todos os papais e mamães aprendessem essa lição!
Beijo querida!

Natália disse...

concordo... minha história é um pouco parecida, minha mãe ficou orfã cedo então não teve mto esse "referencial" de mãe, creio q ela deu o melhor de si, mas preocupou-se demais em dar coisas materiais, achando q assim supriria a falta q sentiu de roupas e brinquedos na sua infancia no orfanato... mas o afeto e o amor existiam, só eram mto pouco demonstrados e quase nada praticados. Mas tbm não a condeno, tbm a amo do jeito q é, hj nossa relação mudou mto, e foi da criação q recebi dela, q retirei todo o meu referencial de maternidade: o q quero copiar e o q quero fazer diferente com meu futuro filhote. É assim mesmo!
Beijocas
PS: seu meninão é lindo! parabéns!

Rebeca disse...

Eu nunca tive muitas demonstrações de afeto lá e casa. Meu pai é meio ¨seco¨ e isso é de família, minha avó paterna tb é. Sempre senti muita falta desse afeto, mas quando criança, senta ainda mais. Queria um pai cheio de aconchego, como as minhas amigas tinham. Nunca fui a princesa do papai, a filhinha.
Hoje eu aceito melhor esse temperamento dele, embora às vezes ainda sofra com isso. MAs por um lado, isso é bom, pq me estimula a ser uma mãe preocupada com esse tipo de coisa. Quero dar ao meu bebê isso que eu não tive, e que sei que é tão importante!

Beijos

Amanda disse...

Realmente, acho que amor é tudo.
Sentir-se amado e dar amor é bom de mais!
Minha avó materna foi e é especial de mais em minha, costumo dizer que ela é meu anjo da guarda, a pessoa sem igual que fez minha infancia e adolescencia mais quentinha e aconchegante.
Eu, que nem tô grávida ainda sei que amo de mais um filho que ainda não veio, sou louca pra beijar, cheirar, abraçar, observar meu neném...ai ai ai


bjinhosss amiga!